Das Dores e Flávio Império

Através do Giramundos, a filha de Das Dores, Rosaline fez o primeiro contato comigo. Isso foi em dezembro do ano passado. E finalmente hoje, noite chuvosa de quinta-feira (21/02/2008) consigo falar diretamente com ela, e foi uma forte emoção ouví-la, e saber como foi a história do Giramundo que ela deu de presente à Flávio.

Natural de Alagoas, Das Dores me contou que um dia viu uma artesã baiana vendendo giramundos. Ela achou aquela estrela tão bonita, e para sua felicidade a baiana lhe deu um de presente. Assim que chegou em casa, desmontou ele inteirinho para aprender como era feito. Aprendeu sozinha.

Em 1965 veio para São Paulo e depois de trabalhar com Amélia Império, foi trabalhar com seu irmão, Flávio. Conviveu com ele durante 12 anos, e acompanhou de perto seus vários trabalhos, ajudando na confecção de seus cenários e figurinos. Em um desses trabalhos – em que Flávio tinha usado muitos tecidos para compor o cenário – Das Dores pegou os retalhos que haviam sobrado, fez um giramundo e deu de presente para Flávio. Ele adorou e a partir daí, os giramundos fizeram parte de vários trabalhos de Flávio Império. Das Dores me conta que fez muitos, de um tecido brilhante, para o show Falso Brilhante, com Elis Regina dirgida por Myrian Muniz em 1976. Também fez centenas de giramundos prateados para a exposição Flávio Império em cena, realizada no Sesc Pompéia, em 1995. E que, desde então, não parou mais de fazer giramundos. Atualmente, Das Dores está com 78 anos e mora em São Paulo. E, claro, faz lindos giramundos por encomenda.

Anúncios